Como a cafeína pode influenciar em nossa visão?

Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

É comum observar em restaurantes o oferecimento de uma xícara de café como cortesia após a refeição. Esse hábito está presente até mesmo em diversos lares do Brasil.

Não por acaso, a Associação Brasileira das Indústrias de Café (Abic) constatou que, em 2020, o consumo de café cresceu 1,34% em relação aos anos anteriores.

Ao todo, em 2020 o brasileiro consumiu 21,2 milhões de sacas de café, o equivalente a 4,79 kg por pessoa.

No mundo, de acordo com o Embrapa, foram consumidas 167,5 milhões de sacas no ano passado.

Apesar da grande aceitação do café pelo paladar das pessoas, ele é um alimento que, por ser rico em cafeína, possui algumas ressalvas quando relacionado com a visão.

Conheça alguns impactos da cafeína na visão

A cafeína é um composto químico que age como um estimulante cerebral. Indicada como suplemento e como fator energético para melhorar a prática de exercícios físicos, ela pode ser encontrada em diversos alimentos.

Achocolatados, chocolate ao leite e amargo, refrigerantes, chás mate, preto e verde. Esses são alguns exemplos de bebidas que contém cafeína. Porém, é o café que possui maior concentração desse composto.

Malefícios

Uma pesquisa publicada na revista Investigative Ophthalmology & Visual Science indica que a cafeína é prejudicial à visão.

Isso porque ela pode estimular a contração do glaucoma, uma doença ocular caracterizada pelo aumento da pressão intraocular que causa perda gradual da visão.

O glaucoma é uma doença que se manifesta de duas maneiras, sendo uma a conhecida como glaucoma de ângulo aberto e outra como glaucoma de ângulo fechado:

  • Glaucoma de ângulo aberto: nela, a pessoa não sente dor e a visão é perdida lentamente;
  • Glaucoma de ângulo fechado: essa categoria de glaucoma, apesar de rara, é observada em algumas pessoas. Ela se caracteriza por causar dores oculares, náuseas e súbitas mudanças na qualidade da visão do paciente.

Apesar de se mostrar lentamente, existem sinais sutis que comunicam a pessoa de que ela pode estar contraindo o glaucoma a partir do consumo excessivo de cafeína.

Esses sinais podem ser:

  • Vermelhidão;
  • Incapacidade de enxergar em ambientes com pouca iluminação;
  • Visão turva e embaçada;
  • Lacrimejamento;
  • Sensibilidade à luz;
  • Diminuição do campo visual.

Benefícios

Apesar de a cafeína ser responsável por estimular o glaucoma, se consumida adequadamente ela pode oferecer benefícios à visão.

É o que indica a pesquisa feita pela Escola de Medicina de Tóquio. O estudo constatou que a cafeína estimula a produção de lágrimas, o que a torna uma aliada no tratamento do olho seco.

Conhecida no meio oftalmológico como Síndrome do Olho Seco, ela é uma enfermidade caracterizada pela diminuição da produção de lágrimas.

E as causas podem ser várias, tais como:

  • Poluição;
  • Excesso de contato com aparelhos eletrônicos;
  • Uso de remédios como antidepressivos, diuréticos e analgésicos;
  • Menopausa.

Para que a cafeína não afete negativamente o bom funcionamento do globo ocular, o recomendado é que adultos consumam de 300 a 400 mg por dia. Isso equivale a quatro xícaras de café.

Já para crianças a partir de dois anos e adolescentes, é sugerido a ingestão máxima de 100 mg. Quantidade é equivalente a uma xícara de café.

Conheça a Pró-Visão!

A Pró-Visão, caso você tenha qualquer problema de visão, relacionado à ingestão de café ou não, vai te auxiliar e mostrar os melhores caminhos para que tudo seja resolvido.

Para isso, contamos com os melhores profissionais da região Norte do Brasil (já que nos localizamos na capital do Amapá: Macapá), além de equipamentos da mais alta qualidade disponível.

Portanto, entre em contato conosco e agende sua consulta!