Entenda como funciona a cirurgia Retinopexia com Introflexão Escleral

Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

A primeira coisa importante para entender como funciona a cirurgia Retinopexia com Introflexão Escleral, é saber que uma Retinopexia é uma cirurgia realizada para operar o descolamento da retina.

A retina é uma camada de células na parte de trás do olho. Essas células usam luz para enviar informações visuais ao seu cérebro. O descolamento da retina ocorre quando parte da retina se desprende do restante da retina e do olho. Quando isso acontece, sua retina não funciona normalmente e a visão é perdida em toda ou parte da retina. Se não for tratada prontamente, isso pode causar perda permanente da visão.

O tratamento do descolamento da retina só pode ser realizado com cirurgia por um médico oftalmologista especialista em descolamento de retina. Aproximadamente 90% dos descolamentos de retina podem ser tratados com somente uma cirurgia. Atualmente existe três tipos de cirurgia para tratamento. São elas retinopexia pneumática, introflexão escleral e vitrectomia posterior.

A Cirurgia de introflexão escleral é um tratamento para descolamento de retina, e é bastante usada hoje em dia. Nesta cirurgia, uma faixa, muitas vezes feita de silicone, é colocada ao redor do olho e costurada no lugar em que tem que ficar. A faixa aperta suavemente o olho, com o intuito de que ela bloqueie todas as rupturas que originaram o descolamento de retina, mantendo as camadas do olho juntas e dando à retina a chance de se reconectar à parede do olho.

Por si só, a faixa não impede que uma ruptura da retina se abra novamente. Geralmente frio extremo (criopexia) ou, menos comumente, calor (diatermia) ou luz (fotocoagulação a laser) é usado para cicatrizar a retina e mantê-la no lugar até que um selo se forme entre a retina e a camada abaixo dela. O selo mantém as camadas do olho juntas e impede que o fluido fique entre elas.

Fatos sobre a cirurgia

  • A cirurgia ocorre em uma sala de cirurgia, geralmente em nível ambulatorial (você vai para casa no mesmo dia).
  • Anestesia local ou geral pode ser usada.
  • Antes da cirurgia, o médico oftalmologista pode prender ambos os olhos e ficar na cama para evitar que o distanciamento se espalhe. Logo antes da cirurgia, ele ou ela usará colírios para dilatar suas pupilas e pode aparar seus cílios para mantê-los fora do caminho.
  • Uma cirurgia pela primeira vez geralmente dura de 1 a 2 horas. Repetir cirurgias ou descolamentos mais complexos podem levar mais tempo.

O que esperar após a cirurgia

Você pode sentir um pouco de dor por alguns dias após a cirurgia. Seu olho pode ficar inchado, vermelho ou dolorido por várias semanas. O oftalmologista pode colocar gotas no olho que evitam a infecção e impedem que a pupila abra bem (dilatando) ou fechando (contraindo). Você pode ter que usar um adesivo no olho por um dia ou mais.

Procure o seu médico imediatamente se notar quaisquer sinais de complicações após a cirurgia, tais como:

  • Diminuindo a visão.
  • Aumentando a dor.
  • Vermelhidão crescente.
  • Inchaço ao redor do olho.
  • Qualquer descarga do olho.
  • Quaisquer novos flutuadores , flashes de luz ou alterações no seu campo de visão.

Riscos

A Introflexão Escleral representa alguns riscos de curto e longo prazo. A maioria dessas complicações não acontece com muita frequência. Os riscos incluem o seguinte:

  • A causa mais comum de falha na cirurgia de descolamento de retina é um tipo de cicatriz na retina, chamada vitreorretinopatia proliferativa (RVP), que pode causar a retina a se soltar novamente. A RVP geralmente requer tratamento adicional, incluindo cirurgia de vitrectomia.
  • O descolamento da coróide (uma parte do tecido que forma o globo ocular) ou o inchaço na área da retina pode atrasar a cicatrização.
  • A pressão da fivela escleral pode elevar a pressão do fluido dentro do globo ocular. Pessoas com glaucoma podem ter um risco maior dessa complicação.
  • Sangrar no olho pode prejudicar a visão.
  • O olho pode ficar infectado. Você pode precisar de antibióticos e corticosteróides para reduzir a vermelhidão ou a descarga do olho e tratar a infecção. Às vezes é necessário remover o implante de Introflexão Escleral para tratar a infecção.
  • O plástico ou a borracha do dispositivo de Introflexão Escleral podem se esfregar em outras partes do olho, sair do lugar ou tornar-se um local de infecção. Em alguns casos, o dispositivo de Introflexão Escleral pode precisar ser removido.

A cirurgia também pode afetar sua visão de outras formas:

  • Como uma faixa escleral empurra o olho, ela pode mudar a forma do olho. Boa visão depende da forma do olho. A alteração causada pela faixa pode causar um erro de refração que pode afetar a visão. A visão pode mudar por vários meses após a cirurgia de Introflexão Escleral. Você deve fazer um exame de visão após 6 meses para verificar alterações na visão. Você pode precisar de óculos ou lentes de contato (ou uma nova receita) para corrigir as alterações.
  • A faixa escleral pode afetar os músculos dos olhos e controlar o movimento dos olhos. Isso pode levar a olhos desalinhados (estrabismo) e visão dupla (diplopia).

Existem algumas maneiras de reparar um descolamento de retina. A chance de cada tipo de cirurgia ajudar a restaurar uma boa visão varia de caso para caso. A causa, localização e tipo de descolamento geralmente determinam qual cirurgia funcionará melhor. Outras condições ou problemas oculares também podem desempenhar um papel na decisão.

Você pode precisar de mais de uma cirurgia para recolocar a retina se o tecido da cicatriz da primeira cirurgia crescer na superfície da retina.