Conheça a Cirurgia de Catarata com lente Intraocular por facoemulsificação

Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Sabemos que a catarata é a visão prejudicada no cristalino, ou seja, a lente natural dos olhos. Para melhorar a visão do paciente, deve-se retirar a catarata para de fato proporcionar ao paciente uma visão nítida.

O caso da doença em questão é cirúrgico e se faz necessário substituir a lente antiga e embaçada por uma lente nova e artificial, restaurado a visão e melhorando significativamente a qualidade de vida do paciente.

Nos últimos anos, grandes avanços foram obtidos com as novas técnicas para a remoção da catarata, o que tornou esse procedimento um dos procedimentos mais seguros e efetivos.

A nossa lente está localizada atrás da íris e é responsável por focalizar a luz na retina e por produzir imagens claras e nítidas. A lente tem a capacidade de mudar de forma, fenômeno conhecido como acomodação.

À medida que nossos olhos envelhecem, no entanto, a lente endurece e perde sua capacidade de se acomodar. E também, à medida que os olhos envelhecem, ocorrem processos oxidativos e as células mortas se acumulam na cápsula do cristalino, fazendo com que a lente se torne gradualmente turva. A luz que normalmente seria focalizada pela lente está espalhada por causa da nebulosidade, então a visão não é mais clara e nítida.

Como é realizada a facoemulsificação?

A facoemulsificação revolucionou a cirurgia de catarata. Até a década de 70, a cirurgia de catarata era feita da seguinte forma: era realizada a extração completa do cristalino com o auxílio de uma sonda, procedimento esse chamado de facectomia intracapsular, ou seja, fazia-se o congelamento do cristalino, o qual era posteriormente arrancado da sua posição original.

Nos dias de hoje, houveram grandes conquistas nas cirurgias de catarata e os pacientes podem ter um pós-operatório excelente, além de uma cirurgia rápida e tranquila.

Além das limitações e complicações inerentes à técnica realizada anteriormente, o procedimento somente era realizado sob anestesia geral, com o paciente tendo que permanecer deitado por até uma semana.

A cirurgia por facoemulsificação é realizada através da utilização de uma caneta ultrassônica a qual é introduzida no olho por uma pequena abertura. A energia ultrassônica possibilita então, a aspiração do cristalino opaco, istoé, a catarata. A cirurgia neste caso pode ser realizada com anestesia tópica através de gotas de colírio anestésico ou por bloqueio local do olho. Em ambos os casos o paciente é liberado no mesmo dia sendo necessário o retorno no dia seguinte.

A catarata pode então ser removida por meio da facoemulsificação ou cirurgia com pequena incisão. No primeiro caso, o cirurgião utiliza o instrumento que vibra em velocidade ultrassônica para cortar e quase dissolver o material da lente em pequenos fragmentos. Os fragmentos são então aspirados da cápsula por um acessório na ponta da sonda.

Com o ultra-som, a catarata é fracionada em partículas microscópicas e aspirada, em seguida, para compensar a remoção do cristalino, é implantada uma lente intra-ocular, conhecida como LIO. A incisão em degrau faz com que o olho permaneça completamente selado pela pressão natural externa.

Quais os benefícios desse procedimento?

  • A anestesia tópica e a incisão auto-selante trouxeram a cirurgia de catarata a um nível mais alto;
  • Com o colírio anestésico não há necessidade da dolorosa injeção de anestesia, a qual retarda a restauração da visão e pode causar inchaço e descoloração da pele;
  • Muitos pacientes são capazes de ver nitidamente logo após a cirurgia. Atualmente, na maioria dos casos, é possível retornar às atividades como ler e dirigir, em curto espaço de tempo.

Lentes intra-oculares:

Hoje existem lentes capazes de corrigir todos os erros refrativos, possibilitando assim a dispensa do uso de óculos de grau. A lente do olho contribui muito para o poder de foco no olho, e como resultado, uma vez que removemos a catarata, que é a lente, o paciente fica com uma prescrição hipertransparente “positiva”.

É por isso que, muitos anos atrás, quando os pacientes tinham catarata removida, eles usavam tipicamente “óculos de catarata”. Os óculos de catarata eram grossos, pesados ​​e ampliavam os olhos.

Atualmente, existem alguns tipos de lentes, elas são:

Esféricas: as lentes esféricas são as mais comuns no mercado. Elas possuem esse nome graças ao seu formato mais arredondado em sua superfície, ou seja, no centro.

Asféricas: diferente das lentes esféricas, que possuem a sua superfície mais arredondada, as lentes asféricas possuem um design mais plano.

Tóricas: uma lente tórica, portanto, pode ser rígida, embora nem toda lente rígida seja tórica. A lente tórica rígida costuma ser usada por pessoas com alto grau de astigmatismo, já que sua espessura é mais grossa e possibilita maior grau de correção. Por outro lado, a lente tórica gelatinosa corrige graus menores de astigmatismo, pois é mais fina e flexível.

Bifocais: lentes bifocais são normalmente prescritas para pessoas com presbiopia que também requer uma correção para miopia, hipermetropia e/ou astigmatismo, e trabalham com dois campos de visão distintos: um para perto, na parte inferior da lente, e outro para longe, na parte superior.

Trifocais: A Lente Trifocal, como seu próprio nome já sugere, corrige a visão para três distâncias de foco diferentes: a visão de perto, a visão de distância intermediária e a visão de longe. As Lentes Trifocais são a última novidade no mercado de Lentes Intraoculares e começaram a ser disponibilizadas no mercado em 2016.

Recuperação:

  • As pessoas têm diferentes períodos de recuperação, mas a maioria dos pacientes apresentam melhora da visão após a cirurgia;
  • A incisão feita na córnea geralmente não requer pontos e é auto-selante. Dentro de alguns dias, a incisão cura completamente
  • Uma vez removida, a catarata não voltará;
  • Colírios pós-operatórios são receitados e tem como objetivo reduzir a inflamação, além de prevenir possíveis infecções;
  • Nos casos em que ocorrer o embaçamento da membrana atrás da lente-intraocular, após a cirurgia, pode-se realizar um tratamento rápido e no consultório, com o laser.

Após a cirurgia, o paciente tem uma recuperação tranquila e indolor, consulte o médico especialista para conhecer melhor o procedimento da cirurgia de catarata com lente intraocular por facoemulsificação.

4.7/5 - (64 votes)