Tipos de cirurgia de retina

Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Cirurgias de retina podem ter algumas variações, você sabia? Conheça mais sobre todos os tipos dessa cirurgia.

A retina, que nada mais é que o tecido nervoso responsável pela formação das imagens que vemos, é localizada no fundo de nosso globo ocular. Uma lesão nesta região pode ocasionar diversas doenças oculares ou, até mesmo, a perda total da visão. Uma avaliação feita no Brasil estimou que um a cada 4 mil brasileiros possui algum dos problemas de retina considerados raros. Por isso, é claro, os cuidados devem ser redobrados.

Os tipos de cirurgia de retina e o que cada uma faz

Existem diversos problemas que podem acometer a retina, por isso mostraremos os principais tipos de cirurgia para solucioná-los. Confira:

Vitrectomia

Neste tipo de cirurgia na retina, a Vitrectomia, algumas fendas na parede do olho serão abertas pelo cirurgião, com o objetivo de retirar grande parte do vítreo (gel que preenche a cavidade ocular), utilizando uma ferramenta médica de absorção. Após isso, uma bolha de gás ou uma pequena quantidade de óleo de silicone é inserida no lugar, até que o gel volte gradativamente.

Por ser uma das mais utilizadas no descolamento de retina, muitos pacientes chegam a pensar que a Vitrectomia se limita apenas a isso. Porém, muitos outros tratamentos são feitos através dela, como a Opacidade Vírica (turvação), o Diagnóstico de condição vítreo-retiniana, Retinopatia Diabética, entre outros. 

Em alguns raros casos, o gel passa para a parte frontal (anterior) do olho. Assim, será utilizada a Vitrectomia Anterior, pois o risco de perda de visão pode aumentar.

Retinopexia Pneumática

A Retinopexia Pneumática é uma cirurgia de retina parecida com a Vitrectomia, inserindo gases (SF6 ou C3F8) dentro do globo. Porém, é mais utilizado para bloquear a rasgadura retiniana, a fim de impedir a passagem de líquido para que o problema da retina seja resolvido. As estatísticas mostram que o sucesso deste tipo de cirurgia é bem inferior ao procedimento de Vitrectomia ou da Faixa Escleral. Normalmente, é seguida de uma Fotocoagulação a Laser.

Fotocoagulação a Laser

Na Fotocoagulação, feixes de laser são lançados para cauterizar o ferimento, de maneira a diminuir o risco de descolamento de retina ou o aumento dele. Também é utilizada em procedimentos como a Retinopatia Diabética, Edema de Mácula, Oclusão da veia da Retina, após a Retinopexia Pneumática (como citado acima), entre outros.

Faixa Escleral

A Faixa Escleral é uma cirurgia de retina que pode ser feita de um pedaço de silicone ou até mesmo uma esponja no branco dos olhos. A faixafunciona como espécie de cinta, com o intuito de “puxar” a retina de volta para o seu lugar de origem e corrigindo um eventual descolamento.

Injeção Intravítrea

A Injeção Intravítrea é aplicada pelo cirurgião na parte posterior do olho, inserindo o Gel de Humor Vítreo que, como citado anteriormente, é retirado na Vitrectomia e é responsável pelo formato redondo dos nossos olhos, além de ter uma ligação direta com a retina. Geralmente, é utilizada na DMRI (Doença Macular Relacionada à Idade).

Exames para a identificação de problemas na retina

Antes, é importantíssimo saber que o descolamento da retina, uma das principais lesões do nosso globo, é considerado uma urgência médica. Ou seja, caso haja algum sintoma, pelo menos um dos exames citados abaixo deve ser feito o mais rápido possível.

São eles:

  • OCT (Optical Coherence Tomography) ou Angio-OCT;
  • Retinografia Simples;
  • Angiofluoresceinografia de Retina;
  • Mapeamento da Retina;

Lembramos que todos estes exames são realizados na Pró-Visão, a clínica especializada em cirurgia de retina, e que ao sentir qualquer desconforto o médico oftalmologista deve ser consultado. 

Agende uma consulta conosco!