Úlcera de córnea: fatores de risco e tratamento

Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Úlcera da córnea refere-se à invasão de um organismo infeccioso na córnea. Como regra geral, quanto mais profunda a infecção da córnea, mais graves são os sintomas e complicações. Deve-se notar que, embora relativamente pouco frequente, uma úlcera de córnea é a complicação mais grave do uso de lentes de contato.

A maioria das úlceras da córnea é infecciosa, incluindo causas bacterianas e virais. As úlceras não infecciosas podem ser causadas por queimaduras químicas ou por causas autoimunes, tóxicas, neurotróficas ou outras.

As úlceras da córnea geralmente curam bem se tratadas precocemente. No entanto, se negligenciada, a turvação da córnea e até mesmo a perfuração (um buraco na córnea) pode se desenvolver, resultando em perda grave da visão e, possivelmente, perda do olho. As úlceras da córnea são uma condição séria que ameaça a visão e requerem atenção médica.

O trauma de um corpo estranho (incluindo lentes de contato), olhos secos severos ou doença palpebral pode predispor os pacientes a infecções na córnea. O uso excessivo de lente de contato ou a higiene inadequada das lentes de contato também colocam o paciente em maior risco de infecções devido às bactérias e outros organismos que podem crescer nas lentes de contato, nos casos e na solução reutilizada de lentes de contato.

Identifique alguns sintomas:

  • A sensação de que há algo em seu olho.
  • Descarga do olho.
  • Dor aguda.
  • Olhos marejados.
  • Sensibilidade à luz.
  • Visão embaçada.

Fatores de risco:

  • Anormalidades palpebrais.
  • Complicações de ceratite por herpes simples, ceratite neurotrófica, blefarite crônica, conjuntivite, tracoma e ceratopatia bolhosa
  • Deficiência de vitamina A ou desnutrição proteica.
  • Esterilização inadequada de lentes de contato.
  • Falta de produção de lágrima.
  • Infecção.
  • Lesão ocular.
  • Uso de lentes de contato por períodos excessivos de tempo.

Um oftalmologista pode diagnosticar uma infecção da córnea durante um exame oftalmológico. Úlceras mais graves podem ser amostradas e enviadas para um laboratório para culturas para identificar o organismo agressor.

As infecções relacionadas a lentes de contato são a causa mais comum de infecções corneanas. O uso saudável e adequado das lentes de contato pode reduzir o risco de infecções.

Como as lentes de contato podem danificar a córnea de várias maneiras?

  • Ao colocar ou retirar as lentes podem ocorrer “arranhões” na superfície da córnea, tornando a córnea mais vulnerável a infecções.
  • Da mesma forma, pequenas partículas de sujeira que que possa existir por baixo das lentes podem “arranhar” a córnea.
  • Podem proliferar bactérias, vírus, fungos ou parasitas nas lentes ou nas caixas. Se utiliza as lentes por longos períodos de tempo, estes agentes podem multiplicar-se e causar danos à córnea. Um parasita microscópico designado por acanthamoeba (geralmente encontrado na água da torneira, piscinas, banheiras de hidromassagem, etc) é um dos responsáveis pela contaminação frequente das lentes de contato.
  • Usar lentes por longos períodos de tempo também pode bloquear a entrada de oxigênio na córnea, tornando-a mais suscetível a infeções.

Dicas de uso saudável das lentes de contato:

  • Limpeza adequada das lentes de contato e higiene.
  • Substituição regular de lentes de contato descartáveis.
  • Minimizando o tempo de uso de lentes de contato.
  • Evitar atividades de alto risco – como uso noturno e dormir, nadar ou tomar banho com elas.

Infecções da córnea também podem ocorrer após trauma e lesão ocular. Muitos deles são vistos em lesões relacionadas ao local de trabalho e podem ser evitados com o uso apropriado de óculos de segurança.

Tratamento:

O tratamento foca na erradicação da causa da úlcera. O médico oftalmologista usara agentes anti-infecciosos direcionados ao agente microbiano incitante em casos de úlcera de córnea devido a infecção. Normalmente, estes serão sob a forma de colírios ou pomadas. Eventualmente o oftalmologista pode, também, prescrever medicações orais, especialmente em certas infecções virais. O mesmo pode ocasionalmente utilizar injeção subconjuntival de antibióticos.

Em casos de pacientes agravados pela secura ocular ou exposição corneal (por exemplo, exposição corneana a ambiente seco e / ou arenoso), serão utilizados substitutos lacrimais.

Em úlceras de córnea que envolvem lesões, o agente incitante deve ser removido do olho (usando irrigação abundante, por exemplo) e depois adicionar medicamentos para prevenir a infecção e minimizar as cicatrizes da córnea.

É possível que a úlcera não consiga ser controlada apenas com medicamento. Neste caso, é recomendado procedimento cirúrgico.

Qualquer pessoa com um olho irritado que não melhore rapidamente, deve procurar imediatamente seu oftalmologista.

4.8/5 - (82 votes)