18/9 – Dia Nacional de Conscientização e Incentivo ao Diagnóstico Precoce do Retinoblastoma

Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Todos os pais gostam de registrar em fotos cada momento e conquista no desenvolvimento de seus filhos, especialmente quando ainda bebês.

Nesses momentos, pode acontecer de a região da retina ficar esbranquiçada quando a luz do flash fotográfico refletir sobre ela. Na comunidade oftalmológica, essa ocorrência é conhecida como leucocoria. 

Este é um caso clássico de retinoblastoma, o primeiro tipo de câncer na história da medicina a ser classificado como uma doença genética. 

Acometendo um total de 400 crianças por ano no Brasil, essa doença rara é tida como grave, mas oferece alto nível de cura se diagnosticada precocemente.

Como acontece o retinoblastoma? 

Cada célula presente na retina possui ao menos um par de genes RB1. Quando essa dupla genética, que tem a função de controlar o crescimento celular, é mutado ou ausente, é formado o retinoblastoma. 

Com um prazo médio de cinco meses entre os primeiros sintomas e o diagnóstico, 51% dos pacientes mirins com diagnóstico positivo para a doença é do público masculino.

Essa enfermidade acomete principalmente crianças que se encontram na primeira infância, período que se estende até os cinco anos.

Como saber se a pessoa contraiu retinoblastoma? 

O principal sinal de que a pessoa desenvolveu o câncer de retina é o reflexo branco quando os olhos entram em contato com as luzes artificiais, como, por exemplo, o flash fotográfico ou as luzes emitidas por celulares. 

Porém, existem outros sinais que o organismo da criança emite que informam o diagnóstico do retinoblastoma. 

Geralmente é comum que os primeiros sintomas sejam:

  • Íris de cores diferentes, o que é conhecido no meio oftalmológico como heterocromia;
  • Estrabismo, que é quando os olhos não conseguem fixar a atenção em um mesmo objeto simultaneamente;
  • Ambliopia, situação em um ou ambos os olhos apresentam diferentes noções de profundidade. Enfermidade também é conhecida como olho preguiçoso;
  • Vermelhidão;
  • Sangramento em partes do olho;
  • Fotofobia, situação em que existe incômodo ocular quando em contato com a luz. 

Caso o retinoblastoma não seja diagnosticado a tempo e sofra ligeiras evoluções, os sinais mudam, fazendo com que a criança apresente:

  • Dor em um ou em ambos os olhos causados pela pressão óssea feita pelo tamanho do tumor;
  • Vômitos constantes;
  • Globo ocular de tamanho maior do que o normal. Conhecido como proptose, evento ocorre quando o câncer afeta também a órbita dos olhos;
  • Perda parcial ou total da visão.

Categorias de retinoblastoma 

Esse tipo de câncer apresenta duas ramificações, as quais são chamadas esporádica e hereditária, respectivamente. 

Na esporádica, apenas um olho é atingido. Ela é mais observada em crianças com mais de um ano. 

Já na hereditária, a doença pode afetar tanto um quanto ambos os olhos. Essa categoria de câncer de retina acomete principalmente as crianças com mais de um ano.

E como funciona o tratamento? 

Como toda enfermidade, quanto antes ela é identificada mais sucesso se tem no tratamento. 

No caso do retinoblastoma, os processos médicos realizados oferecem a completa cura da doença. 

Alguns métodos exercidos são:

  • Quimioterapia: exercício que serve para controlar o crescimento do tumor e evitar sua disseminação;
  • Radioterapia: através de pequenas placas com sementes radioativas posicionadas próximas ao tumor, a intenção é reduzir o câncer;
  • Enucleação: em alguns casos, é necessária a retirada do globo ocular. No lugar, é colocado um olho de vidro;
  • Laserterapia: esse tratamento é eficiente nos casos iniciais da doença. 

Conheça a Pró-Visão!

Para o maior sucesso na destruição do tumor, é necessária a realização de consultas frequentes ao oftalmologista! Portanto, fique atento e as faça regularmente!

Dessa forma, o tumor é identificado previamente, podendo ser combatido desde seu processo inicial. 

Por isso, a Pró-Visão está aqui para ajudar nisso, sendo especialista não só em Retinoblastoma! 

Marque sua consulta conosco; estamos localizados na capital do Amapá, Macapá!

Rate this post