Como são os Derrames Oculares?

Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

É comum perceber que os olhos de algumas pessoas estão com uma mancha vermelha. Essa situação pode ser sinal de derrame ocular.

Também conhecida como hiposfagma, essa enfermidade é ocasionada a partir do rompimento de pequenos vasos sanguíneos situados na conjuntiva, uma fina película que recobre e protege a parte branca dos olhos.

Bastante comum de ser observado nas pessoas de diferentes idades, o derrame ocular é uma categoria de vazamento que se cura sozinho dentro de 10 a 14 dias. Por isso, não é necessário nenhum meio de tratamento.

Sintomas e causas do derrame ocular

Apesar de se curar sozinho, essa enfermidade possui alguns sintomas que, se observados com antecedência, é possível evitar que o derrame ocorra.

O principal sintoma para o derrame é a própria aparição de manchas de sangue na parte branca dos olhos. Porém, existem outros dois sinais importantes de serem notados:

  • Vermelhidão;
  • Sensação de areia nos olhos, um sintoma comumente chamado de corpo estranho.

Ambos os sinais comunicam que os olhos podem estar sofrendo processos irritantes, infecciosos, alérgicos ou até traumáticos.

Por isso, é importante também conhecer as causas dessa enfermidade, as quais podem ser várias:

  • Traumas ocasionados pelo ato de coçar ou esfregar os olhos;
  • Mudanças na coagulação sanguínea;
  • Espirros;
  • Atividades físicas intensas;
  • Esforço ao evacuar;
  • Picos de pressão arterial;
  • Efeito colateral de cirurgia na pálpebra;
  • Infecções;
  • Vômitos frequentes;
  • Tosses intensas.

Categorias de derrame ocular

Apesar de parecer uma enfermidade simples, o derrame ocular possui diversas variações. Algumas, inclusive, podem afetar o bom funcionamento da visão.

Por isso, é bom conhecer cada um deles para saber quais os procedimentos adequados para serem tomados em cada caso.

O derrame ocular, portanto, possui quatro tipos, os quais são:

Hemorragia Sub-retiniana

Está associada à DMRI úmida, uma doença causada pelo crescimento anormal de vasos sanguíneos sob a retina. São esses novos vasos que podem apresentar vazamento de sangue e prejudicar a visão.

No caso da hemorragia sub-retiniana, o principal sintoma é a perda súbita da visão, podendo ser revertida através do tratamento da DMRI, que envolve injeções de anti angiogênicos.

Hemorragia Vítrea

Essa vertente do derrame ocular ocorre a partir do rompimento de vasos anormais que se formam no vítreo.

Suas causas envolvem o rompimento de vasos normais. A retinopatia diabética, a obstrução vascular e a retinopatia da prematuridade podem cooperar para que essa enfermidade aconteça.

Outra causa envolve o rompimento dos vasos normais. Este é um caso que ocorre em decorrência de traumas oculares.

Hemorragia Subconjuntival

Essa versão se caracteriza por um sangramento na superfície ocular, em uma região localizada abaixo da conjuntiva.

Suas causas são aumento da pressão dos vasos sanguíneos oculares, o ato de coçar os olhos e traumas.

Hifema

É quando um sangramento acontece na câmara anterior do olho, entre a córnea e a íris. O sangue localizado nessa região pode causar dor, sensibilidade à luz e visão turva.

As causas dessa vertente de derrame ocular vão desde traumas e infecções até tumores e como efeito colateral de cirurgias oculares.

Procure um oftalmologista na Pró-Visão!

Nos primeiros sinais de vermelhidão, o recomendado é não passar a mão sob os olhos. Se o rastro de sangue não sumir, procure um centro oftalmológico para obter o melhor diagnóstico.

E, claro, a clínica que cuidará 100% da saúde de seus olhos é a Pró-Visão!

Em nossa clínica, os profissionais são capacitados e certificados, além de operarem os melhores equipamentos existentes no mercado.

Entre em contato conosco e marque sua consulta!