Coronavírus: cuidados que você precisa saber

Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

O que é?

Aqui veremos todos os cuidados e informações que você precisa saber sobre a pandemia batizada como 2019-nCov9, que é uma variação da família coronavírus, o seu primeiro contato foi na década de 60. Causador de doenças respiratórias de leves a mais graves, semelhantes a um resfriado comum. 

Seu primeiro alerta foi emitido pela OMS em 31/12/2019, por causo de um caso misterioso de pneumonia na cidade de Wuhan, China. A epidemia atingiu pessoas com associação ao mercado de frutos do mar, que no entanto eram vendidos animais vivos e mortos, assim despertou a suspeita da transmissão ter ocorrido entre animais e humanos. Com o avanço do novo coronavírus Sars-COV-2 no Brasil o Ministério da Saúde anunciou recomendações que as autoridades e a população em geral devem adotar de agora em diante, destacaram bem o isolamento domiciliar de todo viajante internacional que retornar ao Brasil. Contudo foram registrados 200 casos confirmados que estão distribuídos por 14 estados e o Distrito Federal, a doença está sendo monitorada, com 1.422 situações suspeitas. Já outros 1.163 casos já foram descartados, em outros 120 países, registra-se mais de 142 mil infectados e 5 mil mortes.

Outros tipos de coronavírus são mais agressivos e podem causar doenças graves, sendo assim um grande impacto importante em termos de saúde pública. Um dos vírus mais agressivos é o SARS-COV e o MERS-COV, que podem ter sua apresentação clínica, e quadros de pneumonia grave. 

Como é transmitido?

Até o momento foram identificados que o contágio pode ser via animal, na ingestão de carnes contaminadas, e também transmitido de pessoa para pessoa através de:

  • Gotículas de saliva;
  • Espirro;
  • Tosse;
  • Contato pessoal próximo, como o toque ou até mesmo aperto de mão;
  • Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com os olhos, nariz ou boca.

Porém o vírus não contém tempo determinado para duração em uma superfície, podendo assim durar algumas horas a alguns dias. Pode também haver diferença em razões de condições como a temperatura. Por isso, caso alguém suspeite da contaminação de uma superfície ou objeto, a orientação é aplicar desinfetante ou álcool em gel.

Quais os Sintomas?

Geralmente, o vírus age causando infecções respiratórias das mais graves a moderadas, com curta duração. Porém, como pode ocorrer a evolução para pneumonia grave e insuficiência respiratória. A maioria das pessoas que se infectam com os coronavírus mais comuns ao longo da vida, sendo crianças pequenas mais propensas a se infectar. Sendo assim a população de maior risco são os idosos e pacientes com quadros de imunodeficiência com o total de 3,74% das pessoas que contraíram o vírus e morreram globalmente, segundo dados da Organização Mundial da Saúde. 

O índice tem variado de país, e seus sintomas são bem semelhantes ao da gripe, e podem envolver coriza, febre alta, tosse, dor de garganta, falta de ar e até mesmo dificuldades de respirar. 

Como se prevenir?

O Ministério da Saúde orienta com cuidados básicos para reduzir o risco geral de transmitir ou contrair o novo coronavírus. Entre isso estão algumas medidas: 

  • Evitar contato próximo com pessoas que sofrem infecções respiratórias;
  • Realizar a lavagem com frequência das mãos, especialmente após um contato direto com pessoas doentes ou até mesmo com o meio ambiente;
  • Utilizar lenços descartáveis para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Higienizar as mãos com álcool em gel;
  • Higienizar com frequência objetos de uso pessoal;
  • Evitar contato próximo com animais selvagens ou animais doentes em fazendas de criações.

Para evitar o contágio, a OMS recomenda que se mantenha uma distância mínima de até 2 metros do indivíduo doente. Também é recomendado que não seja feito o compartilhamento de itens pessoais, como toalhas e roupas.

Embora o vírus tenha surgido de uma fonte animal na China, não há até o momento, evidências de que animais no Brasil tenham sido a fonte de transmissão do novo coronavírus.

Fique atento!

Assim que os primeiros sintomas surgirem como: coriza, moleza no corpo ou apenas febre e recomendado ligar para o número 136 para orientações médicas, Ou procure ajuda médica imediata para confirmar o diagnóstico e iniciar o mais rápido possível o tratamento.

4.6/5 - (16 votes)