O que fazer quando nossas pupilas se dilatam sozinhas?

Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Ter a pupila dilatada não significa somente que a pessoa acabou de sair de um exame oftalmológico. Afinal, os olhos são alguns dos órgãos que denunciam o estado de espírito das pessoas.

Na verdade, quando uma pessoa está com a pupila dilatada quer dizer que está com midríase, o termo técnico para o processo de dilatação pupilar.

De maneira mais branda, a dilatação da pupila é uma função reagente a estímulos luminosos. Há, porém, situações em que, mesmo após o incentivo da luz, a pupila siga com até 4 milímetros de dilatação.

Essa situação é chamada de midríase paralítica ou fixa. Ela pode acontecer em apenas um olho, conhecida como midríase paralítica unilateral, como também se pronunciar nos dois olhos. Nesse caso, é nomeada como midríase fixa bilateral.

Conheça as causas da dilatação da pupila

É importante saber que ter a pupila dilatada é algo normal e que não pede preocupação.

Mas também é interessante ter conhecimento das diversas causas que estimulam esse cenário.

Algumas situações que cooperam para a dilatação da pupila são:

  • Danos cerebrais. Aqui se referindo, especificamente, à presença de tumores;
  • Situações de estresse ou tensão. Quando alguém está em situação que pede muito cuidado ou atenção, é comum que a pupila se dilate;
  • Pouca quantidade de oxigênio no cérebro;
  • Uso de colírios oftalmológicos; • Uso de drogas, como anfetamina, cocaína, ecstasy e LSD.
  • Medicamentos;
  • AVC.

Pupila de Adie e Aniridia Congênita

Existem outras duas importantes causas que explicam algumas situações em que as pupilas encontram-se dilatadas. Mas essas se referem a transtornos específicos.

O primeiro deles é conhecido como Pupila de Adie e se caracteriza como um distúrbio em que uma das pupilas é maior que o normal e demora para reagir a estímulos luminosos.

O segundo é nomeado como Aniridia Congênita e ocorre quando uma pessoa nasce tendo uma íris parcial ou completamente ausente. Essa situação promove a origem de uma pupila bastante grande.

A pupila como espelho das emoções

Não tem como esconder. A pupila é uma parte do corpo sensível a emoções, por essa razão, denuncia o estado de espírito das pessoas.

Nesse aspecto, algumas causas para a dilatação da pupila podem ser:

  • Concentração. Quando ocorre esforço e raciocínio intenso, é natural que a pupila dilate;
  • Interesse. Quando algo prende a atenção e os olhos ficam focados. Nesse aspecto, as causas podem ser pessoas, lugares e até mesmo o cheiro da comida;
  • Excitação. Momentos de ânimo ou mesmo o próprio interesse sexual proporcionam a dilatação da pupila;
  • Medo ou choque. Quando algo desperta temor e receio, a pupila aumenta como uma atitude involuntária que permite que o corpo fique alerta e atento;
  • Dor. Independente do grau de intensidade do desconforto físico, as pupilas se dilatam até que essa sensação se dissipe por completo.

Tratamento

Geralmente, a midríase não pede tratamento, pois é uma situação que se regenera sem intervenções.

Por outro lado, é preciso avaliar atentamente quais são as causas da dilatação da pupila para determinar a medida mais adequada a ser tomada.

Nessas situações, é preciso se dirigir a um centro oftalmológico para receber atenção e ter um diagnóstico preciso.

Por isso, vá até a Pró-Visão!

Como você pode ver, existem vários problemas que ocasionam o dilatamento da pupila. Por isso é importante contar com bons profissionais no cuidado de sua saúde ocular.

Para isso, conte com a clínica Pró-Visão. Aqui, possuímos uma equipe especializada de oftalmologistas que, amparados por equipamentos de qualidade, cuidam da melhor maneira possível da sua visão.

Entre em contato conosco!