Qual a diferença entre terçol e Calázio?

Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Sabe aquela dorzinha incômoda que do nada aparece nos olhos? A crença que geralmente temos é de que essa dor possa ser um terçol, não é isso mesmo que a sua avó falava?

Apesar dos sintomas serem bem parecidos, o terçol e o calázio são patologias oculares distintas e ambos devem ser tratados.

O terçol vem a ser uma infecção bacteriana que causa vermelhidão ocular, ferida na pálpebra e sensibilidade à luz, já o calázio não se trata de uma infeção causada por bactérias. e sim de um processo inflamatório que provoca a obstrução do canal de saída de uma glândula sebácea. 

Mesmo que ambos problemas oculares tenham sintomas bem parecidos, o tratamento distingue-se e podem ser analisados somente por um médico oftalmologista.

Em contrapartida, ambas têm algo em comum.Normalmente, dois ou três dias após o surgimento do quadro, os sintomas desaparecem de maneira espontânea.

Todo cuidado é pouco, pois no caso do calázio, se por acaso a glândula atingida for atingida de forma mais profunda, um nódulo poderá surgir e inflamar e então se não tratado de forma correta, o mesmo pode surgir mesmo após o período de cura.

A diferença entre as doenças:

Uma das formas mais eficazes de perceber as diferenças entre terçol e calázio é analisar os sintomas apresentados. Um terçol é uma inflamação da pálpebra associada a um pequeno ponto de pus. Na maioria dos casos, a infecção é causada pela bactéria;

Apesar de desconfortáveis ​​e incrivelmente comuns, o terçol geralmente não é motivo de preocupação.

Muitas vezes o nódulo é vermelho e dolorido parece muito com uma espinha e embora a maioria deles se forme do lado de fora da pálpebra, alguns se desenvolvem por dentro.

Na maioria dos casos, o terçol melhora em 1 semana sem qualquer intervenção médica. Terçol externo, ou aqueles que se formam na pálpebra, podem ficar amarelos e liberar o pus, já o terçol internos que aparece dentro da pálpebra tende a ser mais dolorido ainda.

É importante nunca recorrermos a automedicação em hipótese alguma. Mesmo que os tratamentos para os problemas pareçam simples, é comum que uma pessoa que não seja da área médica confunda as duas doenças.

Por isso, aqui vão algumas recomendações:

  • Aplicar uma compressa morna suavemente contra o terçol ajuda a liberar o pus mais prontamente e a aliviar a dor e inchaço.
  • Sobre o calázio, o tratamento mais comum consiste na aplicação de compressas mornas, que auxiliam na drenagem do líquido e amenizam os sintomas.

Prevenir é a melhor opção:

Mesmo que não seja possível evitar totalmente o calázio ou o terçol, algumas medidas podem ser adotadas para minimizar as chances de contraí-las. São elas:

Lave as mãos com frequência e evite esfregá-las no rosto, especialmente quando já houver algum tipo de lesão;

Cultive o hábito de visitar o médico regularmente, buscando diagnosticar precocemente qualquer problema de visão e investigar o reaparecimento de quadros de calázio;

Mantenha a pele higienizada com produtos de PH neutro a fim de evitar que o excesso de oleosidade impeça a saída de secreção das pálpebras e contribua para a formação de calázios.

Se sentir quaisquer sintomas parecidos com terçol a calázio, consulte o oftalmologista imediatamente.