O que é retinopatia diabética?

Compartilhe este artigo com seus amigos e familiares

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

A alimentação e suas consequências estão sendo alvo da análise de médicos de diversas áreas, uma vez que todo alimento que colocamos na boca traz de uma certa forma, consequências para nosso organismo, leva uma mensagem ao cérebro e por fim, pode nos ocasionar doenças de diversos tipos.

Tal afirmação nos faz refletir como estamos nos comportando quando o assunto é: nos alimentar. Uma ação que parece tão simples, pode ser a causa da retinopatia diabética, nosso tema de hoje.

Quando os níveis de açúcar no sangue são elevados, podem causar danos aos vasos sanguíneos da nossa retina, provocando então a doença ocular chamada retinopatia diabética.

Além de danos, esses vasos podem se fechar, impedindo que o sangue circule, e então os olhos incham e vazam, por vezes, novos vasos sanguíneos crescem em nossa retina e todas essas mudanças podem roubar a nossa visão.

Existem dois estágios principais da doença ocular em questão, elas são:

  1. A retinopatia diabética não proliferativa, ou seja, é o estágio inicial da doença ocular. Neste caso, os pequenos vasos sanguíneos vazam, fazendo a retina inchar.
    O chamado edema macular, é a razão mais comum pela qual as pessoas com diabetes perdem a visão, quando a mácula incha.
  2. A retinopatia diabética proliferativa, acontece quando a retina começa a crescer novos vasos sanguíneos, ou seja isso é chamado de neovascularização e é considerado o estágio mais avançado da doença ocular diabética. O olho acaba sangrando devido ao processo de neovascularização e se muito, pode bloquear toda a visão.

E quais os sintomas causados pela retinopatia diabética?

Antes de analisarmos os sintomas da retinopatia diabética, é necessário falar que pacientes podem ter a doença e não saber disso, pois no estágio inicial os sintomas mal aparecem.

Quando a retinopatia piora, alguns sintomas comuns são:

  • Visão embaçada;
  • Visão que muda algumas vezes de embaçada para clara;
  • Áreas em branco ou escuras no seu campo de visão;
  • Má visão noturna;
  • Cores parecem desbotadas ou desbotadas;

Os sintomas da retinopatia diabética geralmente afetam os dois olhos. Segundo o site National Eye institute, a doença ocular diabética também inclui catarata e glaucoma. A nossa alimentação previne então diversas doenças, e a dieta requer atenção redobrada entre os adultos com diabetes, pois são 2 a 5 vezes mais propensos do que aqueles sem diabetes, para desenvolver catarata. De qualquer forma. a catarata também tende a se desenvolver mais cedo em pessoas com diabetes.

Nos adultos, o diabetes quase duplica o risco de glaucoma e alguns exemplos da doença estão associados à pressão elevada dentro do olho. Todas as formas de doença ocular diabética têm o potencial de causar perda severa da visão e cegueira.

Pacientes que possuem o hábito de consumir muito açúcar devem preocupar-se com as causas do mesmo no sangue, uma vez que esse açúcar no sangue cronicamente elevado do diabetes está associado a danos nos minúsculos vasos sanguíneos da retina, levando então à retinopatia diabética.

Agora, vamos analisar as causas da retinopatia diabética:

A retina detecta a luz e a converte em sinais enviados pelo nervo óptico ao cérebro. A retinopatia diabética pode causar vasos sanguíneos na retina a vazar fluido ou hemorragia (ou seja, o sangramento), distorcendo a visão do paciente. Em seu estágio mais avançado, novos vasos sanguíneos proliferam (aumentam em número) na superfície da retina, o que pode levar a cicatrizes e perda de células na retina e o descolamento de retina pode levar à perda permanente da visão.

Mas então fica a pergunta: ‘Como as pessoas com diabetes podem proteger sua visão?’ A visão perdida para a doença retinopatia diabética é às vezes irreversível. Entretanto, ao detectarmos precocemente e o tratamento bem feito, podemos reduzir o risco de cegueira em 95%. Boas notícias, não é mesmo?

Como a retinopatia diabética geralmente não apresenta sintomas precoces, recomendamos que pacientes com diabetes devem fazer um exame oftalmológico [inserir o link de agendamento pelo whatsapp aqui]  abrangente pelo menos uma vez por ano. Já os pacientes já detectados com retinopatia diabética devem fazer exames oftalmológicos com maior frequência.

As mulheres com diabetes que engravidam devem ter um exame de olho dilatado abrangente o mais rápido possível. Exames adicionais durante a gravidez podem ser também necessários.